E quando tudo começou...

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Mais um amigo se vai...


Só agora quebro meu o silêncio
A dor ainda invade a alma
De não entender por que você tinha que ir...
Deixas-tes um amor
Que rias de teu ciúmes, que adorava teus jogos, curtia suas bebedeiras e que amava teus amigo(a)s.
Meu amigo Marcão a morte te levou
E ao ver sua prometida com ela vi a dor e a amargura
De alguém que não te verá, mas terá você por perto.
Foi díficil para mim que também chora um amor perdido
Mais que habita este plano mesmo não estando comigo
Vivendo uma vida e buscando seus sonhos, assim como eu.
Parece inacreditável!
Lembro-me de ter falando contigo logo após minha desilusão.


Então logo me disse: "- Malu, pior é a dor de nunca ter vivido o que você viveu, você será sábia e fará sempre o certo, pois és inteligente, sincera e a vida para você é sempre uma constante, cheia de aventuras sempre vividas de forma vísceral, alegre, verdadeira e espontânea como você".
E logo me deu um abraço e chorei no teu ombro.

Lembro-me de sua amada até mencionar o orgulho de ter te encontrado logo depois de ter acabado um namoro doloroso.
E de ter dito que um dia eu também teria junto a mim alguém tão igual que pareceria a mesma pessoa e não duas...
Lindo, não? Uma bela declaração de amor...

Logo você me disse: "- Fica fria que eu comprei um baralhinho novo (não tá mais viciado como o que jogamos até a última parceria), vais rolar aquela jogatina legal com todas as vodkas, "whiskadas" que tens direito.
Então, você esquecerá a sua desilusão e arranjará um outro amor que te roubará da gente por uns tempos.
Alguém que deseje conhecer seus amigos loucos e que aprenda o valor da amizade e não do isolamento á dois."

Acordei achando que teríamos mais um daqueles papos intermináveis
Ao qual sempre a sua amada e minha grande amiga, ria, se divertia muito com seus ciúmes, suas loucuras, as minhas e a dos amigos.
Noites de bar, zoeira, piadas, Black Jack, guitarras, metal, blues, gaita, amigos...
Você como sempre a alegria da festa. Foi pouco, mas foi um tempo bom.
Então, descubro que faltava algo...
Um vazio tomou conta de mim naquele dia que também não tinha sido fácil para mim.
Tantos problemas de uma vez só.
Um frio tocou meu coração quando aos prantos sua amada me liga e fala:
"- Malu, perdemos Marcão!"
Há muito não passava por uma sensação tão estranha em meio há tantos problemas.
Minha vida passou novamente por um segundo pela minha mente.
A dor de perder uma sobrinha em tempos díficeis fez amargar a boca e lembrar de uma vida inteira de amizade, da dor de perder de novo alguém.
Não tive coragem de estender o papo e fui a busca de vê-la e ver-te. Não pela última vez.
Tenha certeza que nos veremos de novo e te contarei as novidades que com certeza você irá dizer:
" - Que novidades tens a me contar se estive perto de ti o tempo todo?
- Vem cá, Maluka me dá aquele abraço!"
(sem palavras...)
No mais...A vida continua...

Malu Freitas (com o eterno abraço da amiga Maluka que sempre que nunca esquecerá de ti e minha amizade fiel aos que ficam). Adeus meu amigo!
Foto: Google

Nenhum comentário: