E quando tudo começou...

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Á Minha Espera....

No escuro reflito
Penso desejo, almejo
Sempre ensejo
Encontrar a resposta
Para todas as dúvidas
Marcas no tempo e no espaço
Que o passado deixou...
Só me resta esperar
O tempo passar ou fazer algo...
O que? Para que? Para quem?
Cada vida que por mim cruza
Sofre a maldição
Da Bendita ou Maldita solidão
Que me encanta, mas que machuca
Àqueles que comigo sonham ficar.
Neste duro caminhar que é minha vida
Arrastando almas sigo enfrente
Sem maldade, sem querer...
Mais na mente a dúvida
De saber se vou te fazer eternamente feliz.
Malu Freitas
Foto: Google