E quando tudo começou...

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Observatório da Alma

Tenho sentido minhas forças levadas
Por meios e ventos que nunca consigo dominar
Sinto-me observada e as vezes criticada de forma errônea
Sem poder me abrir a você que se mostra como meu ouvinte
Sei que se preocupas comigo
Me liga e me pergunta como vai meu trabalho
Escuta minha voz triste e sempre perguntas o que mais escondo
Nada justifica meu comportamento para contigo meu amigo
Tenho consciência disso e as vezes tento começar meu desabafo.
Mais existem coisas que jamais saberá
Detalhes que iriam ferir-te
E mesmo sendo um amigo do "ben"
Prefiro ter-te da forma que acho melhor
Na forma de amigo onipresente quase todos os dias
Em meio as horas em que resolvo me alimentar
Muitas coisas contribuiram para este mau tempo
Mais mesmo como um bom observador da minha alma
Que tenta trazer para mim as melhores notícias
E os melhores sons, não dá para segurar.
Acabo correndo de ti também.
Deixe-me sozinha e tudo ficará melhor
Enfrentarei os exércitos da discórdia
O mau tempo, a má sorte
Do meu jeito e a toda sorte
Para que um dia possas observar minha alma
Mais limpa e aliviada.

Malu Freitas

foto: Google

Nenhum comentário: