E quando tudo começou...

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Amor X Amizade



 
Uma carta de amor

Quando quis mostrar aos meus amigos
O quanto mudei ao sair da ostra
Encontrei uma borracha que apagou minhas palavras
De carinho e reconhecimento por um dia tão lindo que tive contigo.
Apagastes uma parte da nossa história para que não houvesse vestígios
De sua estada em meu coração e da minha visita ao seu.
Uma história que poderia ter sido de cumplicidade e amizade
Talvez de amor ou quem sabe de apenas amantes
Não sei mais...


Quando em agonia por inúmeros problemas
Procurei teu colo, só achei incompreensão
O desencontro e a sua idéia de que tudo sempre foi assim...
Como uma perda de tempo
Quebrastes os cacos da jóia que me destes.
Palavras são palavras e atitudes são eternas
Me ter por tanto tempo, tentando me fazendo pensar diferente
Foi satisfação de um ego...Capricho...
Senti-me um bicho exótico que se tem e depois livra-se dele
Quando não lhe serve mais
ou quem sabe um belo pavão que de repente resolveu mostrar os pés.
Não sei mais...


Tanto tempo à espera de um golpe que não pode dar pessoalmente
Talvez por falta de coragem
Claro, que me sentiria expulsa, extirpada e apagada de uma vida
Sem direito a escolher quem deveríamos apagar.
Mais você se encarregou dos dois.
Agora como sempre a culpa é minha.
Não, não foi...A culpa pode ter sido nossa.
Mais agora não interessa...
Eu já sei demais...


E nada irá apagar essa dor que está congelando
Em sentimentos frios e imagens remotas
Do que foi e da forma que foi
Não penso mais no que poderia ter sido
Pois tive o melhor e o pior da mesma pessoa
Mais como muitas pessoas gostam de mim
Prezam minha amizade
Perceberam que mesmo lendo meus textos uma vez ou outra
E não todos os dias...Que eu estava triste
Perguntaram por que...
Certos assuntos não pude contar aos outros como esse...
Não tive coragem...Seria reviver a cena do crime
Onde a mocinha recebe a facada do seu herói
Mais sei o que fazer...


Voltarei a minha ostra
Dormirei por um tempo
Aproveitarei a beleza do mar
Chorarei e sorrirei nos braços dos amigos
E por fim tentarei sair da casca novamente.
E não esperar que outro me tire dela e me exponha
Como o joalheiro que encontrou a pérola.
Como você o FÊz


Malu Freitas
fotos: Google

Nenhum comentário: