E quando tudo começou...

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Fuga

Na fuga procurei minha alma
Não a achei.
Tento achá-la...
Em outra perdida pelo Universo
Na ânsia de achá-la.
Achei o mais puro verso

Na fúria da paixão...
Que tenta seguir meus passos...
Num passo desmedido
Descompassado
Renasço ao ver-te
Morro ao deixas-tes

Num doce encontro
Da tempestade e o vento
Resultados nada catastróficos
Acontecem e volto a pensar
Que fiz para te encontrar

Se pecadora sou
E anjos não beijam demônios
E a lúxuria é meu nome
Quando a pureza gera o seu pecado
Que minha fuga seja para nós dois
A razão da loucura e não a tormenta que me abala.

Malu Freitas

Nenhum comentário: