E quando tudo começou...

domingo, 20 de setembro de 2009

LADRÃO-CAVALHEIRO




Ladrão - Cavalheiro

Roubastes por um tempo
Este nobre coração
Vestido em belas vestes
Ornado em joias de Ônix
Em seus pensamentos 
A arrogância
em sua bela voz
A lábia de um cavalheiro - nobre
Em seus passos cadenciados
Rastros de amor deixou
Mais que não soube como segurar.


Não basta parecer cavalheiro
Tem que ser nobre
Não basta ter intenções
Se não consegue convencer-me
De que és somente meu.


Sua dor é maior que seu amor.
Por isso tentas imaginar
Por onde anda sua dama
Que um dia tentou
Segurar a pulsos fortes.


Ela já não existe mais.
Desapareceu na noite escura.
Levando apenas as lembranças
Das noites encantadas 
Em seu coração.


Malu Freitas

Nenhum comentário: