E quando tudo começou...

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

A ESPIÃ QUE TE AMAVA e seu Amor Clandestino (Baseado em fatos reais)


(Clique na foto e leia o poema)

CRÔNICA

CAP. II

A ESPIÃ QUE TE AMAVA POR ELA MESMA...
Sim, pareço uma espiã. Entro muda, saio calada por observar demais ás pessoas, principalmente em locais públicos.
Esboço-me em traços finos do desenho enviado.
E a cada pessoa que conheço transformo em especial.
Por isso roubo almas que se transformarão em almas amigas ou desejadas.
Sempre secreta, discreta, entro e saio da sua vida sem dizer os “porquês” da minha saída.
Não faço por mal.
Faço por não gostar da exposição desnecessária da minha vida por minha pessoa.
Sempre tive minhas reservas que geram mistérios que rondam minha existência.
E se você pensa que me conquistou e por isso chegou ao fim da linha...
Enganou-se.
Amo conquistar e ser conquistada por quem escolhi para amar.
Sou sedenta de carinhos e afagos.
Não sou carente, não tempo para isso, por nunca estar só.
Preciso de espaço para mim e minha arte.
Sempre junto, nunca agarrado ás marras do ciúme que afasta e intriga.
Então, esta é a espiã que se revela guardando apenas os segredos, os desejos mais secretos e alguns amores clandestinos...


Por falar nisso...




A ESPIÃ QUE TE AMAVA E SEU AMOR CLANDESTINO!


Uma paixão de inverno apareceu na minha vida em um evento que fui. Ele mal entrou o chamaram pelo pseudônimo meio sinistro e infernal. Como um sugador de almas, este sinistro homem entrou na minha vida. Sentou-se de forma que o eu visse diretamente, à mesma mesa. Não parava de repetir a cada foto que me pediam para tirar com os amigos que meu namorado se irritaria ou que talvez eu tivesse um namorado e que eles deveriam ter mais cuidado.


Até que em meio ao barulho do evento falei propositalmente:
“- Não tenho namorado. Ninguém se habilita a namorar comigo pelo que sou e pelo que faço.”
Ele não segurou a curiosidade e perguntou: “- Quem você é ou faz de tão grave para que os homens se arrependam ou não te namore?”
Disse: “- Sou poetisa e escritora. Uma ativista cultural. Trabalho também na arte e minha vida social, amigos e escritos incomodam alguns pretendentes.
“Eles se aproximam pela beleza mais o forte é minha personalidade junto aos meus escritos.”
Ele me pareceu seguro quando mencionou que seria "besteira" de qualquer homem e que talvez, eu não conhecera o homem certo.
Achei que naquele momento á pessoa dele determinada e forte me intimidaria, mas não aconteceu e a partir daquele momento ficamos amigos.
Muitos assuntos naquela noite foram abordados, desde música (arte dele e minha no passado), cinema, costumes, gostos parecidos. Enfim, simplesmente nos afinamos.

Seduzido pelo meu perfume exótico...
Ao sair do local veio o golpe mortal...
De pronto ele pegou uma carona comigo no mesmo carro. Logo, falou o que desejava e assustada ou talvez, surpreendida, fiquei quando de repente o beijo se deu em meio trajeto de uma forma inusitada e até mesmo meio que invasora. Ele tinha me deixado curiosa e furiosa ao mesmo tempo, porém, muito mais confusa. Pediu meu telefone e deixou o dele. Mesmo confusa correspondi.
Ele não perdeu muito tempo e foi ao primeiro encontro e como sempre digo:
“- Todo encontro será o 1º Encontro!”
Começamos a nos ver fora as badalações que existem no meio que ás vezes frequentamos.
Sempre discretamente e alguns poucos amigos souberam que estávamos juntos.
Mais aquele homem por quem me apaixonei aos poucos guardava seu maior segredo...:
Fatos de sua vida particular
Ele sempre dizia estar só e não haver outras. A minha vida também estava assim, em meio á problemas pessoais e familiares, por isso, evitava muito envolvimento.
Tinha no fundo a certeza que não queria magoá-lo, com meus problemas por isso, evitaria maiores envolvimentos.
A paixão nunca pode ser controlada e sempre nos víamos com muitos beijos, sem promessas, mas com muito calor no corpo e na alma.
Naquele momento ele tinha marcado a minha alma, acho que talvez eu só tenha marcado a mente dele.
Um desejo louco se deu entre nós dois de uma forma tão inconstante que em muitas vezes, pernoitada por estar enfrentando noites sem dormir, devido a problemas de saúde familiar, dava um jeitinho de vê-lo, de estar ouvindo aquela linda voz que ao pé do ouvido me encantava.
Então, o tempo se passou... Fomos esquentando mais não pegou fogo como realmente deveria, por haver um desencontro no caminho.
Mesmo ele estando por sua vez presente nos momentos mais difíceis da minha vida algo aconteceu e ele não respondia mais meus recados, apagava meus rastros.
Deixou aparecer meio que publicamente em seu site de relacionamento, alguém que me fez ver que ele não tinha uma só palavra e sim "muitas", mas não me senti traída. Afinal, não tinhamos nos prometido nada. Com ele (acho que poderia ter até um relacionamento aberto,rs) por não me parecer homem de fazer cobranças.
Mais não sou assim...

Tenho meus valores e se levo a sério certo alguém, que parece me levar a sério, preservo de exposição.
Em tempos tão modernos, onde ninguém é ou será de ninguém (algo complicado) espero que a única coisa que sobre de cada relação humana seja o respeito.
Afinal, se fosse para ficar com muitas pessoas abriria um "Clube dos Solteiros - Free”, rs.
Faço das palavras dele as minhas...:
Um homem (mulher) só me perde para ele (ela) mesmo!
Talvez, a mente tenha criado "fantasmas", mas com relação a ele a espiã talvez não se enganara.
Ele poderia ter outra...
Ela com certeza não tinha ninguém!
Bom, não sei o que será de nós, até pelo súbito sumiço de ambos, algo como um vento...
Sem nenhuma palavra de despedida da minha parte ou da dele.

Num momento em que o tinha valorizado entre minhas memórias. Foi estranho, pois o assédio a mim é sempre uma constante. Algumas pessoas sempre se confundem nessa caminhada e acabam depois percebendo o quando posso ser amiga e vê-lo como amiga mesmo sendo exuberante.

Mais a ele nunca escondi que o desejava, mesmo sendo tão diferente de tudo que já vivi ou até mesmo idealizei.

Sei que ele não era mais um, nem mais uma conquista.
Apesar dele parecer tão absurdamente inconstante consigo enxergar o HOMEM QUE EXISTE DENTRO DO QUE APARENTA SER.
Se desejava novamente alguém, naquele momento, ele era a quem eu desejava.


Agora com que ele experimento o que nunca gostei de experimentar...


A idéia de que este terreno em que estou pisando pode mudar a cada instante, o que para mim perde um pouco o lúdico e que se tornara algo distante, sua insensatez não me permite ver além das letras e palavras que foram lidas na mensagem dita e autorizada por ele para que eu visse e soubesse da existência de algo diferente do que imaginei: seguro e verdadeiro.
A Espiã que te amava agora enfrenta o destino que podem levar á caminhos que começaram a aparecer, que talvez, nem sejam tão seguros. Mais nesta vida nada é totalmente seguro.
Hoje no coração dela só existem lembranças e o desejo de ter conhecido melhor...
"Aquele que me encantara".
Na vida da espiã nada é impossível mais com certeza suas aventuras serão emocionantes, inusitadas e românticas.



Um dia talvez, a Espiã consiga achar o verdadeiro...



ESPIÃO QUE A AME!
MALU FREITAS

QUALQUER SEMELHANÇA... MERA COINCIDÊNCIA.


A Saga da "Espiã que te amava" continua no Blog:






Nenhum comentário: