E quando tudo começou...

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Mordo-te




MORDO-TE

A tua pele rosada tão cálida quanto meus lábios
Queria deixá-la viver, mas não posso parar de morder-te.

Oh! Bela Dama

Durma o sono dos mortais minha cara.
O inferno te espera minha doce pupila.
Segure minha mão e prepare-se para o beijo mortal.

Malu Freitas


4 comentários:

Äмbзr Gïrℓ ⅞ disse...

que apetite...

hhuauhahuahuauha...

demais, seu poema!!!

Blog Suicide Virgin

♠J. کchmid♠ disse...

Muito bom, adorei a poesia e tbm a foto está perfeita, parabéns !!
Blog Man in the box

cris disse...

Que vontade!
Mui bello...

adorei, vc acabou d ganhar mais uma seguidora!

bjs*

Cris.

Doroni Hilgenberg disse...

Malu,

Linda imagem e poema

Ah, quando esses beijos acabam se tornando mortais, salvem a alma e o coração.
bjs
Doroni